Guia do Blog

> Recepção (Mapa)
> Histórico (Sobre Nós)
> Fragmentos
> Sinopse do Conto
> Temas (em Versos)
> OFICINA MENTAL
> Variedades
> Da Redação
> VITRINA (Janela do Leitor)

"Sabe o Blog que corpos humanos, templos do Espírito!"
comum. Calcular PageRank com.br
Leitores Qualificados:
Ano 18 - MdM: 3.75







Intensas lidas. /
Letras recendem, /
Luzes acendem, /
Eis que desprendem /
Sombras temidas!



Doar Sangue, Um Gesto Simples e Gesto Nobre
Gotas de Vida!

Voto Distrital
Voto Distrital

"Como honrar à altura
o Corpo Humano:
associando-o a Deus
e à Natureza!"

(Jhosa)

[Contra-Capa]

VIAGEM NO TEMPO

Prazer por trazer de volta tempos que não passam!
(Por: Joseh Pereira – 01/05/2012)

Olá, amigos! Falo, hoje, ao jovem casal que, em suas férias anuais, gosta de viajar e narrar detalhes (publicáveis) no Blog: [Viagem Detalhada]. A matéria sobre a qual vou me deixar levar neste texto é a do Terceiro Dia em Berlim, Alemanha. Vocês, com muita propriedade, documentaram coisas deveras marcantes em minha vida. Pois, eu nasci durante a 2a. Guerra Mundial, que terminou com a rendição do Japão, em 1945. E vivi desde lá, até a Queda do Muro (começo dos anos noventa), a Guerra Fria, que dividia o mundo em duas partes, a comunista, com seu imperialismo expansionista avassalador por todo o mundo, a partir do leste europeu e a outra, capitalista, democrática e livre, o chamado Ocidente. Era chamada de Guerra Fria, pela prática da dissuasão do inimigo com o poderio dos seus arsenais, sem a necessidade do uso efetivo do poder bélico instalado. Além da ONU, criada cheia de boas intenções, foram instituídos dois pactos militares para garantir a paz, a nossa OTAN e o Pacto de Varsóvia. Este último não existe mais e a OTAN passou a atuar na nova Rússia. Não havia no mundo, durante a Guerra Fria, uma disseminação de potências nem a multiplicação de bandeiras de tantas militâncias, que nos dificultam demais a localização do amigo e, também, do inimigo! Onde há sinceridade ou não. Quando vemos, já fizemos o jogo de quem não devia ganhar. Os comunistas dividiram a Alemanha em duas e, exatamente, o “paraíso soviético” do lado oriental, tão bom para viver que precisavam erguer muros com sentinelas armados e ordens para matar, para que ingratos moradores não fugissem, é que havia recebido o nome de República Democrática Alemã (DDR em alemão). A parte democrática e livre do lado ocidental era apenas: República Federal Alemã. Notem que entender o comunista declarado de ontem ajuda muito a entender o comunista enrustido e mascarado de hoje, pois, lá como cá, a mentira sempre foi sua especialidade, mentem profissionalmente e de todas as formas. Hoje, porque supostamente vencidos pelo Capitalismo, que teria derrubado e rasgado as vestes do Império Soviético (na realidade, falecido por inanição), os comunistas não morreram e, pior, tornaram-se Vingadores da História, com seus métodos mais sórdidos para inibir ou inviabilizar o livre mercado, aos poucos, gramscianamente, minando com seus venenos a cultura, os ícones da história e os valores mais tradicionais de toda a sociedade livre em qualquer parte do mundo. Com o marketing prejudicado pela queda do maior Império Soviético e o fechamento da torneira de dólares a fundo perdido que vinham para alimentar o showroom cubano do comunismo nestas bandas, os agentes comunistas em sua maioria, por aqui, passaram a vestir a camisa das suas presas, cujo valor, enquanto com eles não colaborar, não supera a de um inseto.
Para encurtar, jovens, eu nasci em 1941, a 18 Km de chão batido da sede municipal, onde havia a posta-restante para a retirada de um Semanário, que era muito bom e um Anuário, a revista “Ecos Marianos” da mesma Editora. O jornal que meu pai assinava e o anuário eram o nosso único link com o mundo, não havia rádio nem TV. Da Revista Anual, os assuntos que encantavam os irmãos Rafael, Benedito e eu eram os mistérios e segredos dos oceanos, a astronomia e as conquistas espaciais de ambas as potências. Ao sermos surpreendidos com dois helicópteros nos céus das nossas terras, nós gritamos: “táxis aéreos!”, porque já havíamos lido sobre as latas voadoras, que haveriam de servir ao transporte individual.
Enfim, até a adolescência e a Guerra Fria em curso, as notícias e artigos que vinham (iam, estou em SP desde 13/05/1962) por aquele Semanário e Anuário sedimentavam, já naquele ermo rural não raro naquele tempo, o meu conhecimento sobre a qualidade do mundo livre e os horrores do mundo comunista, associados a toda a estratégia e propaganda oficial ardilosas sob a “cortina de ferro”, outra expressão freqüente das páginas que líamos. Obrigado, Pai, pelo que pôde me fazer!


PS – Deixei que o saudosismo me subisse à cabeça! O motivo é nobre, a leitura do Blog “Viagem Detalhada” de dois viajantes, que fazem seu Diário com graça e verdade. Eu quis e faço aqui um comentário do seu Post em que descrevem a Alemanha, as memórias do mundo comunista e da Segunda Guerra Mundial. Como eu nasci durante este conflito bélico, li e cresci sob estas tensões, aí, com saudade, colo à ação e tempo, o meu lugar de origem, simples e pleno de sonhos!

. Ver em: [ RECEPÇÃO ] – Todos os Títulos Já Publicados.
Apresentação do Blog como produto, no Post: [Turismo Interno] – Sinta-se em casa!

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>