Guia do Blog

> Recepção (Mapa)
> Histórico (Sobre Nós)
> Fragmentos
> Sinopse do Conto
> Temas (em Versos)
> OFICINA MENTAL
> Variedades
> Da Redação
> VITRINA (Janela do Leitor)

"Sabe o Blog que corpos humanos, templos do Espírito!"
comum. Calcular PageRank com.br
Leitores Qualificados:
Ano 19 - MdM: 3.95







Intensas lidas. /
Letras recendem, /
Luzes acendem, /
Eis que desprendem /
Sombras temidas!



Doar Sangue, Um Gesto Simples e Gesto Nobre
Gotas de Vida!

Voto Distrital
Voto Distrital

"Como honrar à altura
o Corpo Humano:
associando-o a Deus
e à Natureza!"

(Jhosa)

[Contra-Capa]

POLITICAMENTE CORRETO

Ou tirania de orientação marxista a policiar fala e o livre pensar.
(Por: Joseh Pereira – 01/12/2018, Reeditado)

Quantas vezes podemos sentir-nos como reféns até sozinhos dentro de casa, seguros e protegidos por nossos mais confiáveis recursos de segurança?! É que ao exercitarmos a mente nós o fazemos em Inglês, Português, Espanhol etc. e o nosso pensamento se organiza segundo regras que regem o código linguístico, com sujeitos, predicados e complementos. Buscam-se palavras e contextos gramaticalmente compatíveis, em relação a técnicas e ao senso comum culturalmente consolidado. O pior é que em qualquer elaboração ainda insipiente e solitária já pode haver preocupação com a possibilidade do cachimbo ter entortado a mente de pessoas, criando riscos caso o que estivermos pensando venha a público num eventual improviso. E nós não estamos loucos em nossa solidão pensante ao nos preocupar com algo assim, pois, comunistas, com maior ou menor sutileza, patrulham mesmo tudo por não gostarem de camaradas que pensam, sob seu jugo ou território somente quem deve e pode pensar é o partido único no poder central. Mas muito longe de ser esta a única finalidade de tão perniciosa ideologia do “politicamente correto”, semeada e cultivada na história desde o “primeiro fracasso da teoria marxista”, devido a valores judaico-cristãos, jurídicos e filosóficos ocidentais nas consciências da classe operária, que não se rebelou contra a classe patronal capitalista e à burguesia (possuidores de capital), conforme o planejado por Karl Marx, criador do socialismo materialista, falhando na primeira experiência a sua teoria, pela qual seria implantada a ditadura do proletariado. Um momento oportuno para corrigirem seus objetivos já rejeitados por um proletariado que se nega a seguir a cartilha marxista a favor de valores mais racionais e humanos da Civilização Ocidental, mas não, os comunistas fazem o contrário, corrigem os seus métodos. E por quê? Nomes influentes de várias especialidades acadêmicas (socialistas históricos, reunidos sob a famosa denominação da Escola de Frankfurt, antes sediada na Alemanha, devido a guerra mudam para os Estados Unidos, com a acomodação do pós-guerra retornam ficando alguns dos seus na América), juntos, tais figuras concluem que os obstáculos a ser removidos do caminho são precisamente os mais nobres valores tradicionais da Civilização Ocidental, um patrimônio baseado na herança cultural do racionalismo grego, do Direito Romano e da moral judaico-cristã. Como o capitalismo está assentado nestes três pilares fundamentais, corroê-los seria a nova lógica revolucionária, não demorando para deflagarem a mais perigosa “revolução ou guerra cultural” da História contra todos os costumes e tradições consagrados do Ocidente, com o fim básico de desobstruir caminhos para a implantação das suas teses e teorias satânicas, com a ajuda inclusive de Sigmund Freud e sua Psicologia Social absurda aplicada de modo a nos convencer que “a neve é preta e quem a enxerga branca sofre uma excentricidade mórbida”, além de outras técnicas refinadas de lavagem cerebral. Assim sendo, o “politicamente correto” é correto a quem, então!? Não desconfiam, ao menos, quem são seus únicos beneficiários?! E com quais objetivos?!
Sabemos bem que numa sociedade que se preza, de Alma Ocidental, geográfica e culturalmente, além do que, essencialmente capitalista, em que a igualdade perante a lei prevalece, a população não se fragmenta em minorias ou classes conflitantes entre si, mas em camadas econômicas virtuosamente diferentes, grupos e categorias, que compartilham interesses e realizam parcerias, mantendo-se em seu desejável formato piramidal, cujas camadas todas, indiscriminadamente, possuem e ostentam suas funções, méritos e valores específicos, nas quais, a mobilidade social é permitida, mais ainda, estimulada. Em sociedade assim descrita, beneficiada por tais valores, idealmente sadia, não vingam as plantas daninhas do “politicamente correto”, cujo único efeito é o de envenenar e intoxicar o ambiente. Quem puder, portanto, não caia em manias ideológicas malvadas como a que estamos abordando, vendidas a Você sob falsa embalagem da “cultura do sensível”, destinada a não melindrar ou constranger ou, em outras palavras, podendo machucar feridas ainda não cicatrizadas de certos grupos, classes ou minorias, que “nem sabem que existem”, mas ativistas e militantes de esquerda já criaram-lhes cartilhas e manuais de conduta, ditando normas, linguagem e formas especiais de tratamento, impondo a todos novas posturas, sob pena de termos de responder perante a algum tribunal. Uma coisa, meus caros, é a cultura, quando hábitos e atitudes num relacionamento se consolidam de modo a tornar automáticas determinadas condutas. Portanto, como já dissemos, a nossa Cultura se fundamenta em três pilares indivisíveis, o religioso ou judaico-cristão, o filosófico (da Grécia Antiga) e o jurídico (do Direito Romano), todos fortes obstáculos à penetração doutrinária marxista, logo, para conseguirem êxito terão de antes destruir tijolos por tijolos os pilares de toda uma Civilização, a Ocidental, usando instrumentos da própria Cultura para miná-la e destruí-la, como ilustra recente artigo, a [Miséria da Contra-Cultura]. Um patrimônio milenar estamos deixando ir para o ralo! Não, não vamos pôr mais lenha na fogueira. Por que, em frases na terceira pessoa, “lhe” ou “o/a” por “te” (2a. pessoa); homossexual por gay (alegre); afro-brasileiro por negro (o certo); velhice por melhor-idade (um absurdo); favela por comunidade; pobres por excluídos; rico, no sentido de injusto explorador; “todos e todas”, em detrimento do neutro “todos”, se a ambos os sexos, além de outros inúmeros exemplos de violenta agressão a dicionários e gramáticas, à literatura e escritores consagrados, tudo feito com dedicação e apuro por demolidores de uma Cultura e de uma Tradição para abrir caminhos à doutrina marxista. Sob a óptica do “politicamente correto”, baseado em imperativo coletivista e materialista, todos herdamos dívidas históricas a saldar de gerações já fossilizadas, negando uma natural individualidade de pessoas e gerações, com isso tudo, criando-se normas abusivas de compensação, como as malditas cotas em tudo quanto é canto, além de muito ódio latente de humanos contra humanos, impedindo assim um equilíbrio harmônico da sociedade, sendo circunscritos todos os males resultantes sob a responsabilidade sempre de terceiros, nunca dos promotores da baderna cultural. Para encerrar, nós perguntamos. Ainda resistem dúvidas sobre a quem pertence o “politicamente correto”, onde e como nasceu, quais suas estratégias e objetivos?! Onde e como se manifesta o sintoma de verdadeira “doença social”, aliás, muito contagiosa dos nossos tempos, da qual tratamos?! Vamos nos empenhar cada vez mais para evitarmos o jogo do inimigo, no qual seremos sempre perdedores?! Valem ou não todos os nossos esforços?!

Ler Ainda: [Por Que Ser Conservador] (bem devagar sem divagar)


PS – Quem como nós, há tanto tempo, vive e sente a História sabe que durante a Guerra Fria era fácil identificar um comunista, só havia o Leste e o Oeste como potências mundiais mais países aliados, divididos. Porém, após a queda do Muro em 1989, o comunismo se desdobra em vários ativismos e militâncias com rótulos bacanas para enganar e ludibriar. Ecologia virou “ambientalismo”, com seus exageros de praxe; oscilações térmicas naturais eram, na década de setenta nos jornais, ameaças de nova era glacial, a temperatura caía; mas, no pós-Guerra Fria, com a disseminação do comunismo por outras denominações como disfarces, descobriram ser mais lucrativo vender o contrário, ou seja, um “aquecimento global” subordinado a causas humanas do progresso industrial e urbano, frutos do mesmo “algoz da humanidade”, o Capitalismo, que querem eliminar da face da Terra custe-lhes o que custar. O globo terrestre, em seu todo e regionalmente, esquenta e esfria ciclicamente, ainda que não houvesse um só terráqueo para sujar o planeta. Quem viver (os próximos 100 anos da falsa profecia) verá! Mesmo assim, Você faz parte dos que acreditam nisto, no A.G.A.?! Realizou cuidadosamente todos os cálculos que a equação climática universal exige?! Qual seu nível de segurança que Você lhe atribui, em quesito de singular importância?! Admite, então, ter coragem de se expor, assim, à posteridade?!

MBT – Ano XIX (2018): Originário de 21/04/2013, um texto em reprise com vida nova!

. Ver em: [ RECEPÇÃO ] – Todos os Títulos Já Publicados.
Apresentação do Blog como produto, no Post: [Turismo Interno] – Sinta-se em casa!

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>